Rua Expedicionário Carlos Costa, 351, Ressacada - Itajaí / SC
47 3348.0852

Notícias

voltar

A importância da avaliação auditiva nas crianças

Um dos fatores que influenciam diretamente o DESENVOLVIMENTO DE LINGUAGEM é a audição da criança.
As PERDAS AUDITIVAS podem ser classificadas em GRAUS e a criança pode apresentar perda auditiva de grau leve, moderado, severo ou profundo.
Quando ocorre uma perda de grau LEVE, a criança parece mais distraída, pede para aumentar o volume da TV e se estiver na fase de desenvolvimento da fala, pode apresentar muitas trocas nos fonemas.
Na perda auditiva MODERADA, ela costuma pedir para as pessoas repetirem o que falaram, também aumenta o volume da TV e apresenta atraso no desenvolvimento de linguagem.
Na perda auditiva SEVERA, ela só entende quando falamos muito perto da sua orelha, costuma sentar bem perto da TV e geralmente não responde quando é chamada. Costuma ser uma criança muito agitada e grita muito.
Na perda auditiva PROFUNDA, a criança não escuta a voz das pessoas, não aprende a falar e só escuta sons muito fortes como avião, batida de porta e trovoada.
FIQUE ATENTO AO COMPORTAMENTO AUDITIVO do seu filho e em caso de dúvidas consulte um médico otorrinolaringologista que irá solicitar a avaliação auditiva.
A AVALIAÇÃO AUDITIVA INFANTIL é composta por vários TESTES, a saber: avaliação comportamental da audição, audiometria lúdica, imitanciometria, emissões otoacústicas, potencial evocado auditivo e avaliação do processamento auditivo. O otorrinolaringologista e o fonoaudiólogo vão ajudar na indicação correta dos testes a serem feitos para cada caso.
Dentre outros campos de atuação, o FONOAUDIÓLOGO é o responsável pela função social da audição e aborda a capacidade auditiva, visando aumentar a habilidade do deficiente auditivo em lidar com situações de vida diária.
O Fonoaudiólogo ESPECIALISTA EM AUDIOLOGIA realiza diagnósticos, prognósticos, define tratamentos e auxilia no estabelecimento de condutas de outros profissionais da área da saúde, tais como pediatras, otorrinolaringologistas, neurologistas, neurocirurgiões, geriatras, clínicos gerais e outros.

Postado em 16 de fevereiro de 2016.